quarta-feira, agosto 10, 2022

ADKAR: modelo da gestão de mudanças para você aplicar hoje!

No cenário organizacional é muito comum a implementação de mudanças, seja por questões estratégicas ou por necessidade, e o modelo ADKAR é a escolha certa para quem busca exercer uma boa gestão de mudanças na empresa.

Quem fala mais sobre o assunto é Denise de Moura, professora do MBA em Gestão de Projetos USP/Esalq, que detalha o modelo e explica sua origem, significado e utilização. Ficou interessado? Então, acompanhe a matéria!

Leia mais: Conheça o MBA em Gestão de Projetos USP/Esalq

Toda transformação começa em um projeto!

Origem e significado

De acordo com Denise, o modelo ADKAR foi desenvolvido por Jeff Hiatt, autor americano, após extensas pesquisas realizadas com empresas em diversos países. Seu nome é, na verdade, um acrônimo de cinco palavras em inglês que fazem relação com comportamentos individuais que facilitam a implementação de uma mudança. Elas são:

  • Awareness: consciência
  • Desire: desejo
  • Knowledge: conhecimento
  • Ability: habilidade
  • Reinforcement: reforço

Hiatt afirma que os objetivos do modelo ADKAR são sequenciais, ou seja, devem ser alcançados e desenvolvidos na ordem proposta, tendo início na “consciência” sobre a razão da mudança. O processo busca trabalhar com uma comunicação clara e transparente (no caso, da gestão para os colaboradores) para diminuir ou mitigar possíveis resistências.

Leia mais: Carreira em Gestão de Projetos: para quem quer se destacar hoje!

Na imagem a sigla 'ADKAR', que é um modelo da gestão de mudanças.
ADKAR é apenas um dos temas tratados nas aulas do MBA USP/Esalq!

Modelo ADKAR

É importante ressaltar que este é um modelo que busca trabalhar a gestão de mudanças de dentro para fora, motivando os colaboradores a mudanças que visam melhores resultados estratégicos.

“Ao invés de focar em um nível organizacional, o modelo foca no nível individual, entendendo que resistências individuais a possíveis mudanças podem ser um verdadeiro dificultador das mudanças organizacionais. Além disso, esses comportamentos permitem ter uma visão holística sobre as mudanças – um melhor entendimento sobre elas pode diminuir as resistências que, por ventura, venham a ocorrer”, explica Denise.

A professora explica o modelo de gestão de mudanças de maneira detalhada com um exemplo prático e mais comum: a aprendizagem de um novo idioma. Confira abaixo:

  • Awareness (consciência): é tornar as pessoas conscientes de uma questão. De acordo com o exemplo, seria como trazer à tona perguntas que mostrem a importância de aprender um novo idioma e quais as mudanças que essa ação traz na vida pessoal e profissional. Leituras sobre o impacto de um novo idioma na empregabilidade ou crescimento na carreira são ótimas para gerar engajamento nesse processo, por exemplo.

  • Desire (desejo): fase para trabalhar a motivação com base no que foi coletado na etapa de Awareness. O fator motivador ajuda a manter o aprendizado ativo, mesmo quando as adversidades e dificuldades aparecem. Seguindo o exemplo, seria como levantar perguntas sobre quais devem ser as motivações necessárias para aprender um novo idioma.

  • Knowledge (conhecimento): é o momento de mostrar o caminho para obtenção de um objetivo. No caso, de acordo com o exemplo trabalhado, deve-se deixar claro como é possível obter os conhecimentos necessários para aprender um novo idioma. A mudança não irá ocorrer se os colaboradores não tiverem clareza sobre “como” fazer a mudança acontecer. Um plano concreto de mudança será necessário.

  • Ability (habilidade): É o momento de colocar as mãos na massa. A efetiva aprendizagem ocorre quando se coloca em prática os conhecimentos adquiridos. Saber fazer é diferente de conseguir fazer. É na tentativa, erro e acerto que a aprendizagem começa a vir à tona.

  • Reinforcement (reforço): uma das grandes resistências à mudança é o hábito, sobretudo porque ele nos traz segurança. Sair do hábito, em muitos momentos, pode nos deixar inseguros ou se sentindo vulneráveis. Assim, é necessário dispor ‘ferramentas’ para que ninguém desista no meio do caminho.
Uma escada de brinquedo, onde tem uma mão colocando um degrau, representação da aplicação do ADKAR nos negócios.
Aplique o ADKAR no seu negócio e veja a diferença acontecendo nos detalhes!

“O modelo ADKAR pode ser usado em diversas situações e toma como foco qualquer mudança individual que seja necessária. Os comportamentos propostos neste modelo fazem com que as pessoas permaneçam dispostas e persigam a mudança que precisa ser feita”, conclui Denise.

Gostou de saber sobre ADKAR e o mundo da gestão de mudanças? Então aproveite para conhecer o MBA em Gestão de Projetos USP/Esalq e conferir esses e outros assuntos tratados no curso!

Você também pode gostar desses conteúdos:

Autor (a)

Acacio Junior
Acacio Junior
Marido, cristão, apaixonado pela vida e por boas amizades. Uma longa caminhada até aqui tornou possível minha integração no mundo da Comunicação e agora me aventuro na produção de conteúdos escritos e, sinceramente, não poderia estar mais feliz. Hoje, me encontrei dentro das escritas e do aprendizado diário em um mundo cheio de histórias das quais espero descobrir.

Compartilhar