sexta-feira, setembro 23, 2022

Como ser um empreendedor de sucesso

Atualmente, em média, a cada 1000 empresas que nascem no Brasil, apenas 50% sobrevivem aos primeiros quatro anos. E entre os fatores determinantes dessa significativa taxa de mortalidade empresarial, sobretudo das micro e pequenas empresas, a ausência ou insuficiência de capacitação do empreendedor se destaca. Confira algumas dicas do professor Fernando Coelho, professor de Economia da USP e dos MBA USP/Esalq.

Quanto investir?

Esse é uma questão que depende do escopo do negócio, da disponibilidade de recursos próprios do empreendedor, do quanto ele consegue obter de financiamento, entre outras questões. O empreendedor deve ter clareza dos custos de oportunidade deste investimento (por exemplo, se o recurso ficasse aplicado em um fundo de investimento, quanto renderia alternativamente?), da taxa de retorno do negócio, dos riscos envolvidos, etc. No Brasil, considerando a grande variação das taxas de juros e a oscilação do nível de atividade (trajetória stop and go), é indicado trabalhar com negócios que pagam o investimento até 36 meses e que sejam capazes de gerar lucro a partir do terceiro mês de operação.

A minha ideia é boa o suficiente?

As ideias devem ser repensadas durante todo o momento, colocamos à prova: por que outras pessoas não começaram um negócio igual ou similar? Trata-se de uma moda? Quais são os diferenciais do meu produto ou serviço em relação aos existentes no mercado? Sendo algo novo, é passível de imitação e da entrada de novos concorrentes? Como se manter no mercado? Todavia, é importante que além de uma ideia, o empreendedor tenha a devida tradução do seu ideal em um plano de negócio que seja viável em termos comerciais e financeiros e aponte caminhos concretos para a estruturação do negócio.

 Esse é o momento certo para investir?

O momento (ou time) de investimento necessita considerar as oportunidades de mercado, bem como a disponibilidade de recurso. As oportunidades de mercado variam de negócio para negócio, região para região, e o sentimento do empreendedor, amparado por dados/informações, é um indicativo para tal. Um cuidado é não adentrar em modismos, negócios que surgem e que tem um ciclo de vida – relativamente – curto (ex. paleteria Mexicana), a não ser que esteja nítido as oportunidades de ganho real no curto prazo. Todavia, no que se refere aos recursos, o empreendedor necessita avaliar – objetivamente – os custos de financiamento (taxa de juros) e analisar se o negócio suporta um retorno que cubra os custos de capital.

Como devo me capacitar? 

“A capacitação é fundamental. E aqui, inicialmente, não estamos falando da capacitação formal, mas, sim, da preparação do micro (ou pequeno) empresário para conceber e gerir o seu negócio. Desde a construção do seu plano de negócio, que permite uma compreensão realística das oportunidades mercadológicas, do planejamento financeiro da empresa e dos procedimentos operacionais de produção e prestação de serviços”, orienta o professor. Se você quer especializar-se em Gestão de Negócios, conheça o MBA USP/Esalq na área:  Certificação USP Duração: 18 meses Aulas e provas online (Exceto a última prova do curso, que será aplicada de forma presencial, no campus da USP/Esalq, em Piracicaba (SP), junto à defesa da monografia). Formação superior completa obrigatória Investimento: R$ 100 de inscrição + 18 mensalidades de R$ 590. Inscrições em http://mbauspesalq.com/pt/cursos/gestao-de-negocios/          

Compartilhar