sexta-feira, setembro 30, 2022

E-commerce cresce durante a crise e movimenta o setor varejista

Desde o ano passado o varejo tem registrado queda no consumo devido à crise econômica. O ranking NOVAREJO Brasileiro 2016 demonstrou uma queda de 4,3% do setor frente ao ano passado, porém, apesar do corte de gastos das famílias brasileiras, as vendas pela internet cresceram.

Na contramão do cenário de diminuição do consumo no varejo tradicional, o e-commerce mostra-se como uma tendência que veio para ficar. Por isso, é importante estar adaptado e preparado para ter negócios de sucesso na rede. Somente no ano passado, segundo pesquisa da consultoria Bain & Company, o setor faturou US$ 11 bilhões.

De acordo com Aline Patini, diretora da Abcomm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) “é importante entender que ter um e-commerce não é uma coisa simples. É um novo negócio, uma nova maneira de consumir. Por mais que o cara que compre na sua loja possa comprar no online, é uma nova maneira dele interagir com um mundo diferente”.

Para que esse negócio online seja bem-sucedido é preciso estruturar alguns passos antes de começar a vender. Aline dá as dicas:

  • O primeiro passo é analisar e escolher bem o nicho. “O nicho, para mim, é o primeiro passo para você entrar no comércio online bem”;
  • “Não tem como você fugir do planejamento. A gente planeja até para atravessar a rua. Não é uma coisa simples”;
  • “Tudo é marketing e estratégia. É importante observar seu posicionamento de marca e como será trabalhado esse público”.

Ao mesmo tempo que existem passos a serem seguidos para ter sucesso no e-commerce, é melhor evitar a todo custo outros tipos de decisões. “Em primeiro lugar, se você não entende de comércio eletrônico, não abra o negócio. Primeiramente é preciso estudar ao menos o básico sobre isso para entender do que se trata. Depois, não adianta achar que o resultado será imediato, o processo é longo”, conclui.

Compartilhar