terça-feira, julho 5, 2022

A importância (quase) desconhecida da citricultura brasileira

O Brasil é conhecido mundialmente pelo tamanho e qualidade do seu agronegócio, espalhado em diversas culturas, com o maior foco na produção de milho e soja. No entanto, apesar de receber relativamente pouca atenção da mídia e da população em geral, a citricultura brasileira é extremamente importante para o país e para o mundo.

A importância da produção de laranjas no Brasil, por exemplo, pode ser medida de diversas formas e abrange índices econômicos, tecnológicos e, até mesmo, de qualidade de vida. Por isso entrevistamos Gilberto Tozatti, consultor em citrus e professor do MBA em Agronegócio USP/Esalq, para entender melhor todos os aspectos deste setor da citricultura brasileira. Confira!

Leia mais: Como se tornar autoridade no agronegócio com a Agricultura 4.0

A relevância da citricultura brasileira

Pessoa segura laranja com as duas mãos acima de uma cesta com outras laranjas, enquanto gotas d'água caem em cima delas.
São Paulo é o estado que mais produz citrus no Brasil.

Pergunta: Qual a importância da citricultura no agronegócio brasileiro?

Resposta: “A citricultura brasileira tem uma grande importância para o Agro, pois o PIB (Produto Interno Bruto) do setor gira em torno de 6,5 bilhões de dólares, sendo 2 bilhões somente em exportações. Além disso, o setor gera quase 200 milhões de dólares em impostos e 200 mil empregos diretos, beneficiando nossa sociedade. Os municípios que produzem citrus (laranjas, tangerinas e limão) têm IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) maior devido aos benefícios econômicos que a cultura proporciona à população.”

Pergunta: Qual a importância do Brasil na citricultura mundial?

Resposta: “O Brasil é líder mundial em citricultura, com 37% da produção de laranjas, 64% da produção de suco de laranja e 75% da comercialização de suco. Podemos dizer que a cada cinco copos de suco consumidos no mundo, três são produzidos no Brasil. O motivo desta liderança não reside somente nos aspetos favoráveis de solo e clima, mas também na habilidade do povo brasileiro em responder aos desafios tecnológicos do setor.”

Pergunta: O agronegócio brasileiro é conhecido mundialmente como exemplo devido ao alto desenvolvimento das últimas décadas, como visto nas culturas de soja e milho. Houve algum desenvolvimento tecnológico criado no Brasil direcionada à citricultura que causasse impactos parecidos?

Resposta: “Eu diria que a cultura dos citrus gerou muito mais tecnologia comparada as outras culturas, por ser uma cultura permanente, mais tradicional e com muitos desafios que estimularam as pesquisas e os investimentos ao longo dos anos. Só como exemplo de resultados da pesquisa podemos citar: o sequenciamento genético da bactéria Xilella fastidiosa, causadora da Clorose Variegada dos Citrus, colocando o Brasil como o primeiro país do hemisfério sul a sequenciar o genoma de um organismo; os avanços no manejo do HLB (Greening dos Citrus), onde milhões de dólares são investidos na cura desta doença, que afeta a produção mundial dos citrus; e a tecnologia da produção de mudas cítricas em ambiente protegido, que é destaque no mundo, servindo de exemplo para regiões produtoras, como os estados da Florida e da California.”

Leia também: O Agronegócio brasileiro e as relações internacionais depois de um ano de pandemia

O futuro dos citrus no Brasil

Laranjeiras em um pomar seco e murcho.
Os efeitos do aquecimento global já podem ser sentidos na citricultura brasileira.

Pergunta: A citricultura brasileira sofreu prejuízos com as fortes chuvas que atingiram o país este ano e o aumento das mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global?

Resposta: “Na verdade estamos sofrendo com as mudanças climáticas relacionadas à falta de chuvas e às altas temperaturas que nos últimos anos tem afetado a produção de citrus. Creio que esta situação não é diferente para outras culturas. Os desafios são grandes neste aspecto e pesquisas já vêm sendo realizadas com o intuito de mitigar estas adversidades, com a tecnologia de produtos bioestimulantes, novas variedades de copa e de porta enxertos, irrigação etc.”

Pergunta: Qual sua perspectiva para o futuro da citricultura brasileira na próxima década?

Resposta: Resposta: “Nosso grupo previu há mais de 10 anos que nossa citricultura iria diminuir em produção devido a vários fatores, e realmente isso aconteceu. Para os próximos 10 anos, acreditamos que continuará a tendência de diminuição. Hoje em dia, o produtor rural tem outras opções de culturas, como a soja, milho, cana de açúcar entre outras, que estão bem rentáveis. Além disso, os investimentos para a implantação de citrus são altos e os riscos fitossanitários continuam a desafiar o setor. O suco de laranja, bem como a fruta, são alimentos nutricionalmente nobres, proporcionando imunidade às pessoas que consomem. A demanda por este alimento é alta principalmente dentro do país. Com tudo isso, fica evidente que os preços deverão se manter firmes ao longo dos anos, trazendo lucratividade, principalmente àqueles que são mais tecnificados.”

E aí? Gostou de aprender mais sobre essa cultura tão importante para o nosso país? Conheça o MBA em Agronegócios USP/Esalq e aprenda muito mais!

Você também pode gostar de ler:

Autor (a)

Caio Roberto
Caio Roberto
Jornalista e amante de história, línguas estrangeiras, cinema, literatura e videogames. Utilizo minha curiosidade natural e minha facilidade de me comunicar para descobrir mais sobre o mundo e tentar passar isso adiante. Acredito que nasci para contar histórias, independente da história, da mídia em que ela será contada e do meu papel nela.

Compartilhar