sexta-feira, setembro 23, 2022
Ícone de usuário

Faça gestão pessoal com a matriz de Eisenhower

Tem gente que adora se planejar e tem quem não consiga organizar a rotina para dar prioridade a tarefas, sejam elas importantes ou não. A gestão pessoal é um ato ultra particular, pois todo mundo precisa saber como cuidar da própria vida. E nela sempre tem hábitos bons e ruins, que podem ajudar ou comprometer metas e objetivos.

Um método que ajuda na hora de lidar com isso e organizar tarefas para aumentar a produtividade (além de deixar o dia mais otimizado) é a matriz de Eisenhower. Muito utilizada por empresas, ela divide afazeres por ordem de prioridade e dá uma visão de onde estamos gastando mais tempo e energia.

E não diferente das empresas, que precisam manter um bom nível de produtividade e organização, nós também temos essa responsabilidade na vida pessoal. Afinal, parte da nossa rotina já é ocupada pelo trabalho, então vale a pena saber como aproveitar o tempo restante para atingir pequenos (ou grandes) propósitos.

Por onde começar?

Sente um pouco e reflita aonde quer chegar, como vai fazer isso e o que precisa para realizar a empreitada. E não pense que é somente uma grande empreitada. Lavar aquela pilha de roupas ou terminar de separar objetos velhos para descarte também são objetivos.

Antes de colocar a mão na massa e sair fazendo tudo (correndo o grande risco de não terminar nada), saiba planejar e separar cada tarefa. Listar absolutamente tudo que precisa ser feito é só o primeiro passo. O que vem depois é um exercício de reflexão sobre o grau de importância das coisas.

Essa é a grande sacada da matriz de Eisenhower na gestão pessoal: separar tarefas que precisam de mais atenção das que podem esperar um pouco mais. O esquema é mais ou menos assim:

  • Importantes e urgentes – tudo aquilo que exige atenção imediata e não pode ser adiado. Exemplo disso são as manutenções da casa.
  • Importante, mas não urgente – tarefas que podem ser resolvidas em outro momento, mas não adiadas por muito tempo. Sua próxima consulta, talvez.
  • Urgente, mas não importante – inclui tarefas que podem ser compartilhadas (para o caso de quem mora com outras pessoas), tipo limpar a casa.
  • Nem urgente, nem importante – aqui sim existem tarefas que podem ser descartadas ou adiadas, para serem realizadas a longo prazo (esse item é extremamente pessoal).

Para quem ainda não sabe, existe uma diferença tênue entre importante e urgente. Enquanto uma ação está ligada diretamente a uma meta ou objetivo, a outra tem relação com prazos estabelecidos para serem cumpridos.

Não vai ser fácil

Fazer, listar, programar e eliminar é uma questão de hábito. Infelizmente, hábitos não nascem da noite para o dia. Estabelecer uma rotina e organizar melhor sua gestão pessoal é um processo gradativo e nem sempre 100% eficaz.

Portanto, ao determinar prioridades, pense primeiro no que se encaixa nesse sentido. Urgência é tudo aquilo que, se não for realizado rapidamente, irá prejudicar o andamento de outras coisas ou situações. Como lavar a louça para poder ter espaço e as panelas para fazer o jantar, em um exemplo bem simples.

Quando falamos sobre tarefas importantes, mas não tão urgentes, o que vale é entender se elas podem esperar um pouco. Nesse caso, é preciso programar uma ocasião para cumpri-las, com data e tempo correto de finalização. Assim, elas não são adiadas mais do que o necessário. Tipo agendar uma consulta de rotina.

Agora, ao chegar nos afazeres urgentes da lista, mas não importantes dentro dos objetivos de curto prazo, uma ação simples vai dar andamento a eles: peça ajuda. Pense sempre em alguém próximo que vai poder compartilhar aquela função com você. Compras? Faxina? Pagamento das contas? O que se encaixa aqui dentro do que você listou?

Finalmente, olhe um pouco para as atividades que não são urgentes e nem importantes. Aquela tarefa ou sequência de tarefas que insiste em fazer, mas não tem nenhum impacto na sua vida ou crescimento pessoal e até te atrasam.

Quem sabe tirando elas da sua rotina, outras coisas possam mudar e ficar mais fáceis. Tenha em mente que utilizar a matriz de Eisenhower para sua gestão pessoal não significa apenas ser mais produtivo, mas também encontrar tempo para estar bem e mudar aos poucos um hábito que incomoda ou não faz mais sentido.

De que forma você lida com as tarefas cotidianas? Conte nos comentários!

Autor (a)

Ana Rízia Caldeira
Ana Rízia Caldeira
Boa ouvinte, aprecio demais os momentos em que posso ver o mundo e conhecer as coisas pelas palavras das outras pessoas. Não por menos, entrei para o jornalismo. E além de trazer conteúdos para o Next, utilizo minhas habilidades de apuração e escuta para flertar com a mini carreira de apresentadora nos stories do MBA USP/Esalq, no quadro Você no Camarim.

Compartilhar