sexta-feira, setembro 30, 2022

Linkedin quer ampliar conexão entre recrutadores e profissionais

Com 26 milhões de usuários no Brasil – o país é o terceiro no mundo em número de usuários -, o Linkedin quer ampliar a conexão entre recrutadores e profissionais. Segundo a especialista em Linkedin, Carolina Dostal, a rede começou a fazer modificações após ser adquirida pela Microsoft. Mas as novidades mais significativas ainda estão por vir como uma funcionalidade semelhante aos “matchs” de aplicativos de relacionamento.

“São os matchs de trabalho por geolocalização.  Você está em uma região e tem uma empresa contratando profissional com o seu perfil, daí vai dar um match (uma conexão entre você e a empresa). Ele vai conseguir te dizer também quais cursos que você vai precisar para se atualizar, comparando você com profissionais que tem o seu perfil no mercado. Se você quiser notícias sobre mercado de trabalho, muito provavelmente vai entrar no Linkedin antes de sites de notícias e Facebook”, relatou.

A evolução das funcionalidades do Linkedin não para por aí. A maior rede social de profissionais do mundo – 467 milhões de usuários segundo levantamento de outubro –, já vem investindo pesadamente na conexão com os estudantes, saindo apenas do foco no profissional com mais bagagem de mercado. “Criaram um aplicativo só para estudantes recém-formados. Aplicativo de estudante tem uma série de informações, que você preenche, e assim você tem acesso a informações de empresas”, informou.

Criar um perfil no Linkedin é quase que obrigatório para profissionais de qualquer ramo de atividade e que tenham nenhuma ou muita experiência. Mas é importante saber como abastecer esse perfil, lembrando que a rede social não é um currículo e sim uma ferramenta que faz a conexão com recrutadores. “O consultor ou recrutador procura o candidato de acordo com perfil da vaga que tem disponível ou da posição. Procuram por filtros, por região, setor, cargo, por tempo de trabalho. Por isso é muito importante completar o seu perfil, que é sua marca profissional”, disse.

Siga algumas instruções da especialista em Linkedin e mantenha sua rede atualizada:

– Complete todas as informações. Atualizado o perfil, o Linkedin melhora o seu posicionamento;

– Preencha o que está fazendo no momento. Não coloque “buscando novas oportunidades”. Qual setor você atua e o que você pode contribuir;

– CEP. Muito importante, porque o Linkedin funciona com geolocalização. Dica legal para quem pode se deslocar dentro do Brasil: coloque 0000, pois o Linkedin entende que você pode atuar em todo Brasil, não te limita só atuar em sua cidade e região;

– Faça resumo de sua vida profissional em três parágrafos;

– Foto. Cuidado com a foto do perfil do Linkedin. Tire foto que te represente bem. Mulheres maquiagem neutra. Sejam autênticos, sua foto de perfil tem que ser como você iria para uma entrevista de emprego;

– Coloque no mínimo duas posições anteriores em empresas;

– Linkedin funciona bem com palavra-chave. Cada um dentro da sua área de atuação, faça pesquisas no Linkedin, veja o que outras pessoas que estão no seu ramo usam como palavras-chave e o que os recrutadores estão usando quando anunciam uma vaga de emprego;

– Pode fazer seu perfil em mais de um idioma.

Compartilhe aqui a sua experiência com o Linkedin. #vemtambem

Compartilhar