domingo, maio 22, 2022

Marketing no agronegócio e a instabilidade econômica

Instabilidade econômica, recessão no mercado, moeda brasileira desvalorizada frente ao dólar. O cenário da economia atual não é dos melhores, e especialistas dizem que o País irá retomar o crescimento normalmente em 2018. Mas, mesmo diante de tantos problemas, há um segmento que não para de crescer. O PIB do agronegócio irá aumentar entre 1,5% a 2% neste ano, enquanto o PIB geral do Brasil deverá cair 3%.

 Roberto Fava, professor de marketing e estratégia da FEA-RP/USP, diz não ter dúvidas de que o cenário econômico é difícil este ano. “O agronegócio deve sofrer menos porque tem um direcionamento maior para exportação, mas os riscos de crédito e gestão presentes no mercado nacional influenciam também no crescimento do setor”.

Para ele, quando o ambiente está instável, existem dois caminhos complementares que ajudam as empresas, principalmente os produtores, a se manterem de pé e garantir o desenvolvimento do setor, apensar da recessão: melhorar a produção e se aproximar dos seus clientes. E para isso, é preciso capacitar o que as empresas tem de mais valioso, o seu capital humano.

“As empresas estão entendendo cada vez mais que existe esse desafio e não há outra alternativa senão desenvolver as suas equipes com ferramentas modernas de gestão de negócios e agromarketing”. Assim, as equipes terão ferramentas para entender as necessidades dos clientes e ofertar produtos que eles precisem.

Para suprir essa demanda do mercado, o Pecege e a Markestrat lançaram recentemente um curso em Agromarketing a distância com o objetivo de capacitar gestores de empresas do agronegócio dentro dos ambientes de marketing estratégico e marketing operacional com enfoque no agronegócio brasileiro e garantir o pleno crescimento e desenvolvimento do setor. “O que traz resultado para as empresas são as pessoas capacitadas e treinadas, principalmente as que sabem quais são as demandas dos seus clientes. Um programa de capacitação em agromarketing é adequado para quem quer aumentar seu desempenho na comercialização e ter um resultado maior por meio da relação com seus clientes”, finaliza Fava.

       

Autor (a)

Compartilhar